Voltar ao site

Senado aprova projeto de Rigoni que amplia acesso à internet na educação pública

Texto aprovado no Congresso destina R$ 3,5 bilhões para estados e município

O Senado aprovou na tarde desta quarta-feira (24) um projeto que destina R$ 3,5 bilhões para estados e municípios a fim de garantir serviços de internet de qualidade a estudantes da escola pública. O projeto (PL 3.477/2020) tem coautoria do deputado federal Felipe Rigoni e, após a aprovação no Senado, segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O texto prevê o uso de recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para garantir a conexão de alunos da rede pública de ensino que pertençam a famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico). Professores e estudantes de comunidades indígenas e quilombolas também serão beneficiados.

“No ano passado, alunos sem acesso à internet foram gravemente prejudicados pelo fechamento das escolas. O Brasil tem realidades muito diversas e algumas regiões possuem infraestrutura precária de tecnologia, tornando mais custoso acompanhar o ensino remoto. Esse atraso acentua as desigualdades. O que estamos fazendo é devolver o direito desses jovens encontrarem uma oportunidade. Não podemos nos esquecer que não há ferramenta mais transformadora que a educação”, enfatizou Rigoni.

O relator da matéria no Senado, Alessandro Vieira, reforçou a urgência do projeto aprovado. “Nós estamos falando de cerca de 18 milhões de estudantes brasileiros pobres que estão excluídos da educação. Estamos falando de cerca de 1,6 milhão de professores excluídos da educação. Cada dia sem acesso à educação representa um profissional excluído do mercado de trabalho amanhã”, afirmou.

Com informações da Agência Senado

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK